GERAL

GERAL/style

POLICIAL

POLICIAL/style

Acompanhe as principais notícias sobre política em Imperatriz

Confira a lista de concursos e seletivos abertos no Maranhão

POLÍTICA

POLÍTICA/style

ESPORTE

ESPORTE/style

CULTURA

CULTURA/carousel

OPORTUNIDADES

EMPREGO/block

POESIA DE UMA CRIANÇA PARA MADEIRA 4512

Câmara Municipal realiza audiência pública para debater acessibilidade e padronização de calçadas


Texto: Carlos Gaby/Assimp
Fotos: Fábio Barbosa/Assimp
Edição André Gomes 
Publicado em 9/5/2018

A Câmara Municipal de Imperatriz, atendendo solicitação do Rotary Club, realizou na manhã desta quarta-feira (09), audiência pública para debater acessibilidade em órgãos, logradouros e vias públicas e estabelecimentos comerciais e a pardronização de calçadas, A sessão foi dirigida pela Comissão de Planejamento, Uso, Ocupação e Parcelamento do Solo e de Meio Ambiente.

Participaram dos debates o presidente do Rotary, Janilson Viana, o secretário de Planejamento Urbano do Município, Fidélis Uchoa, o juiz Mário Reis Filho, os promotores Sandro Bíscaro e Joaquim Júnior, representantes dos conselhos municipais da Pessoa com Deficiência, do Idoso e da Cidade, e pessoas da comunidade. 

O presidente do Rotary, Jonilson Viana, lembrou que existe legislação municipal específica tratando sobre a padronização das calçadas e ressaltou que, apesar das cobranças aos órgãos públicos, cada cidadão é responsável por adequar a calçada de sua residência ou estabelecimento ao que diz a norma municipal.

O secretário Fidélis Uchoa disse que a Prefeitura está organizando uma campanha de conscientização para adequação aos padrões exigidos pela lei e desocupação de espaço públicos, porém reconheceu que enquanto o Município não dispor de espaço para alocar os camelôs, o processo para retirada de barracas do centro comercial é lento e delicado. 

Para o juiz Mário Reis Filho, o objetivo da audiência foi abrir debate envolvendo o poder público e a sociedade, sem constranger autoridades e fazer cobranças sem propósito e elogiou a iniciativa da Câmara Municipal e do Rotary Club.
Para o promotor Joaquim Júnior, a padronização das calçadas é "um conserto" difícil, dado ao crescimento sem planejamento da cidade. Sobre a acessibilidade em prédios públicos, disse que a partir de agora é inadmissível que se façam construções sem atender os direitos e necessidades de pessoas com deficiência e idosos, e afirmou que gestores que cumprirem essas exigências estão sujeitos a ação de improbidade administrativa.

O promotor Sandro Bíscaro criticou a forma como autoridades encaram o problema, tentando obter vantagens políticas com discursos e promessas vazias. Disse que é preciso escolher prioridades e focar ações efetivas para a resolução do problema.

Lei

Em Imperatriz, já existe lei, a de nº 1.642/2016, que dispõe sobre a Política de Controle e Fiscalização dos passeios públicos. Ela assegura o deslocamento de qualquer pessoa, independentemente de idade, estatura, limitação de mobilidade ou percepção, com autonomia e segurança.

A iniciativa do Rotary Club, com apoio de vereadores e outras autoridades, visa fazer com que a lei seja colocada em prática, acompanhada de campanha de conscientização e fiscalização.

Comissão

Toda audiência pública realizada na Câmara Municipal é registrada em ata e em vídeo e disponibilizada para qualquer participante ou pessoa da comunidade que solicitar cópia. 

Após a audiência desta quarta-feira, o presidente da sessão, vereador Alberto Sousa (PDT) - presidente da Comissão de Planejamento, Uso, Ocupação, Parcelamento do Solo e Meio Ambiente, autorizou a criação de uma comissão, presidida pelo representante do Rotary, Atenágoras Reis Batista, para acompanhar os desdobramentos dos debates.

Nenhum comentário

POESIA DE UMA CRIANÇA PARA MADEIRA 4512

VIDEO PUBLICIDADE

Facebook

fb/www.facebook.com/andreimprensa