GERAL

GERAL/style

POLICIAL

POLICIAL/style

Acompanhe as principais notícias sobre política em Imperatriz

Confira a lista de concursos e seletivos abertos no Maranhão

POLÍTICA

POLÍTICA/style

ESPORTE

ESPORTE/style

CULTURA

CULTURA/carousel

OPORTUNIDADES

EMPREGO/block

POESIA DE UMA CRIANÇA PARA MADEIRA 4512

Adhemar Freitas Jr. pede esclarecimentos na audiência pública sobre obras do conjunto habitacional Canto da Serra.


Ao pedir a palavra, na audiência pública ocorrida na manha desta quarta-feira (07), no plenário da casa de leis do município, o vereador Adhemar Jr. (PSC), iniciou seu pronunciamento lamentado a ausência da representação da Caixa Econômica Federal, órgão responsável pela as obras de construção do conjunto de casas populares Canto da Serra, que até o momento se encontra parada. As empresas responsáveis foram notificadas para tomarem providências e a expectativa é que as obras recomecem no mês de abril de 2018.

O vereador fez uma lista de cobranças ao começar de o porquê as construções tiveram inicio sem antes a realização da drenagem na área? Porque tanto tempo da demora? O que já foi feito, está se deteriorando, aumentando o desperdício dos recursos públicos.

Adhemar Jr. foi categórico ao cobrar atuação dos órgãos responsáveis para notificação legal das empresas que são ganhadoras de licitações e não cumprem com o prazo de entrega das obras, dificultando o andamento das ações do poder público e disse que “esta mais que na hora de um posicionamento mais rígido no cumprimento destes prazos, que terminam por penalizar o município”.

“Infelizmente a fiscalização só aparece após a conclusão das obras. A exemplo, são as casas do Teotônio Vilela, uma obra bonita, com muitas casas, mas com problemas e erros grosseiros que terminam sendo transportados para o município corrigir, e os maiores prejudicados são os moradores”. Enfatizou Adhemar Jr.

Não justifica obras que passaram por um rigoroso processo de licitação e às vezes até em excesso, demorar tanto para sua execução. Quem executa a obra não é o poder público, são empresas contratadas que possuem capacidade técnica e no entanto deixam a desejar. O descaso e desrespeito com as normas no cumprimento da lei atinge diretamente a população que é quem mais sofre. “Quero deixar registrado o nosso descontentamento e o pedido à procuradoria Federal a quem agradeço a presença, que responsabilize as empresas contratadas, para que assim possa beneficiar a quem de fato precisa dessas casas para morar” disse o vereador.

A ausência da representação da Caixa Econômica Federal e a falta de esclarecimentos e informações mais detalhadas na audiência, só torna visível o descaso para com a população.
Assessoria de Gabinete

Nenhum comentário

POESIA DE UMA CRIANÇA PARA MADEIRA 4512

VIDEO PUBLICIDADE