GERAL

GERAL/style

POLICIAL

POLICIAL/style

Acompanhe as principais notícias sobre política em Imperatriz

Confira a lista de concursos e seletivos abertos no Maranhão

POLÍTICA

POLÍTICA/style

ESPORTE

ESPORTE/style

CULTURA

CULTURA/carousel

OPORTUNIDADES

EMPREGO/block

POESIA DE UMA CRIANÇA PARA MADEIRA 4512

Vasco vence Cruzeiro, quebra tabu de 12 anos e respira na luta contra queda


Do UOL, no Rio de Janeiro
14/10/2018 
Edição André Gomes 

O Vasco respirou na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com o apoio da torcida em São Januário e um segundo tempo imponente, o Cruzmaltino bateu o Cruzeiro por 2 a 0, neste domingo (14). Os gols de Yago Pikachu e Maxi López findaram um tabu de 12 anos na Colina histórica. O último triunfo dos cariocas em casa sobre os mineiros havia sido em 30 de julho de 2006. Foram seis derrotas e um empate até a feliz tarde de 14 de outubro de 2018.

O resultado levou o Vasco aos 34 pontos, na 13ª colocação. O Cruzeiro, concentrado na final da Copa do Brasil contra o Corinthians, soma 37 pontos e está na 9ª posição. Pelo Campeonato Brasileiro, os times voltam a campo no próximo final de semana. No sábado (20), o Cruzmaltino visita o Sport, às 19h (de Brasília). No domingo (21), o Cruzeiro recebe a Chapecoense, às 19h (de Brasília), no Independência.

Primeiro tempo tem susto dos goleiros

Em um jogo com marcação teoricamente reforçada no setor do meio de campo, o que se viu foram times com liberdade para jogar. Os três volantes cruzmaltinos não exerciam a pegada que a escalação induzia, de forma que o Cruzeiro também esteve longe da firmeza no combate. Quando as equipes chegaram, os goleiros quase entregaram. Aos 9min, David recebeu e bateu. A bola desviou em Werley e por muito pouco não surpreendeu Fernando Miguel, que tentava encaixar. Aos 15, o goleiro Rafael saiu e não achou nada. Três minutos depois, ele se enrolou com o zagueiro Murilo, mas ficou com a bola no fim das contas.

Vasco sai e volta para campo vaiado

Depois de um primeiro tempo muito longe das expectativas em todos os aspectos, a torcida do Vasco não perdoou e vaiou muito o time ao apito do árbitro. Fabrício foi xingado e ouviu gritos para que o técnico Alberto Valentim o substituísse. Na volta para os 45 minutos finais, o clima pesado continuou. O treinador chegou a se aproximar do vidro de proteção da arquibancada para pedir calma aos torcedores. Em campo, Fabrício conversava com os companheiros na tentativa de buscar apoio.

E o gol do Vasco teve origem no perseguido Fabrício...


No futebol, as reviravoltas são comuns. E não foi diferente com Fabrício. Vaiado, ele iniciou a jogada e cruzou na área cruzeirense. Maxi López fez o corta-luz e a bola sobrou para Yago Pikachu estufar as redes. Na comemoração, os jogadores correram diretamente para Fabrício. Alberto Valentim, claro, vibrou muito. A partir daí, Fabrício passou a ser aplaudido pela torcida e foi assim até ser substituído por Giovanni Augusto.

Gol tranquiliza Vasco, mas Cruzeiro ameaça com frequência

O gol de Pikachu mudou o jogo. Saiu um primeiro tempo morno e entrou uma segunda etapa com bastante emoção. Pressionadíssimo na luta contra o rebaixamento, o Vasco teve tranquilidade para jogar com a vantagem no placar. Ainda assim, o Cruzeiro não parou de jogar e ameaçou empatar em duas oportunidades. Sóbis e Murilo desperdiçaram.

Maxi López sacramenta vitória do Vasco

Se o Cruzeiro não aproveitou as chances, o Vasco teve o cenário que desejava para sacramentar uma vitória importantíssima na luta contra o rebaixamento. Aos 24min, Maxi López roubou a bola de Lucas Silva e girou com categoria. O argentino deu um tapa de perna esquerda no canto direito de Rafael. Um belo gol para a festa da torcida cruzmaltina em São Januário.

VASCO 2 X 0 CRUZEIRO

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Anderson Coelho (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Público pagante: 10.841
Público presente: 11.376
Renda: R$ 249.945,00
Cartões amarelos: Andrey, Leandro Castán, Jordi, Werley, Maxi López e Luiz Gustavo (Vasco); Bruno Silva e Sassá (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Mancuello (Cruzeiro)
Gols: Yago Pakachu, aos 3min do segundo tempo; Maxi López, aos 24min do segundo tempo

Vasco

Fernando Miguel; Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castán (Henríquez) e Ramon; Bruno Ritter, Andrey e Bruno Consendey (Henrique); Fabrício (Giovanni Augusto), Yago Pikachu e Maxi López
Técnico: Alberto Valentim

Cruzeiro

Rafael; Ezequiel, Cacá, Murilo e Patrick; Bruno Silva (Sassá), Lucas Silva e Mancuello; David (Rafael Santos), Rafael Sobis e Fred (Raniel)
Técnico: Mano Menezes

Nenhum comentário

POESIA DE UMA CRIANÇA PARA MADEIRA 4512

VIDEO PUBLICIDADE