GERAL

GERAL/style

POLICIAL

POLICIAL/style

Acompanhe as principais notícias sobre política em Imperatriz

Confira a lista de concursos e seletivos abertos no Maranhão

POLÍTICA

POLÍTICA/style

ESPORTE

ESPORTE/style

CULTURA

CULTURA/carousel

OPORTUNIDADES

EMPREGO/block

Brasil vence Equador por 2 X O Confira todos os lances


E aí, Barça? Coutinho muda o jogo e dá vitória e título ao Brasil contra o Equador 

Meia do Liverpool, cobiçado pelos catalães, entra no lugar de Renato Augusto e transforma time lento e individualista na equipe envolvente que Tite começou há construir há um ano

RESUMÃO 

Coutinho entra, melhora o time, e o Brasil vence o Equador. Foi a história da vitória de um ano atrás, na estreia de Tite, caprichosamente repetida na Arena do Grêmio. Dessa vez, protagonista de uma dura negociação entre Liverpool e Barcelona, o meia fez até gol. Gol não. Um golaço na vitória por 2 a 0, que deu à Seleção o título simbólico das eliminatórias. Com ele no lugar de Renato Augusto, o técnico trocou o 4-1-4-1 pelo 4-2-3-1. O jogo, que não fluía, passou a andar porque Coutinho deu ritmo, deu aula de como jogar na posição. 



PRIMEIRO TEMPO 

Um time lento, uma torcida gelada. Pareceu uma viagem ao tempo em que Tite não era técnico. O Brasil teve duas chances, com Paulinho e Gabriel Jesus, mas teve mais erros do que méritos. Neymar, por todas as partes do campo, não fez o jogo fluir. Cavou um cartão amarelo para Fidel Martínez e conseguiu o seu ao fazer falta em Velasco. Com exceção dos zagueiros, seguros como sempre, ninguém jogou o que costuma jogar na equipe de Tite. O 0x0 foi justo. 


SEGUNDO TEMPO 

Tite voltou com Thiago Silva no lugar de Miranda. Na zaga, nenhuma mudança, ambos jogaram bem. Mas o Brasil ganhou qualidade no primeiro passe. Não à toa, o técnico o chama de “zagueiro-construtor”. Mas a partida só mudou mesmo quando Coutinho entrou no lugar de Renato Augusto e mostrou a Neymar como se faz. Enquanto o atacante do PSG abusou do individualismo, o meia do Liverpool (ou do Barça?) tabelou, triangulou, desfilou. Com ele em campo, Paulinho fez 1 a 0 após cobrança de escanteio de Willian. Depois, com velocidade e habilidade, Coutinho tabelou com Gabriel Jesus e definiu a vitória. 



PREOCUPAÇÃO

Depois de um choque de cabeça com Alisson, no primeiro tempo, o zagueiro Miranda perdeu um pouco da memória e, no intervalo, a comissão técnica resolveu trocá-lo por Thiago Silva para evitar qualquer problema mais grave. 



 PENDURADOS 

Dos cinco titulares, apenas Marcelo levou cartão amarelo, e será substituído por Filipe Luís na partida contra a Colômbia. Em compensação, Neymar e Gabriel Jesus se juntaram a Miranda, Casemiro, Paulinho, Renato Augusto, Filipe Luís, Fernandinho e Giuliano. Todos pendurados. 


PÚBLICO E RENDA 

No jogo disputado no país com torcida mais fria em toda a eliminatória, 36.869 compareceram à Arena do Grêmio, e geraram uma renda de mais de sete milhões de reais: R$ 7.886.450,00. 


CLASSIFICAÇÃO 

A Seleção não só manteve a liderança, como garantiu o primeiro lugar das eliminatórias. Abriu 11 pontos (36 a 25) da vice-líder, a Colômbia, e não poderá mais ser alcançada nas três rodadas restantes. O Equador caiu para sétimo, fora da zona de classificação à Copa do Mundo, com 20, ultrapassado pelo Paraguai, que foi a 20. 

FAZENDO HISTÓRIA 

Ainda faltam três rodadas para o fim das eliminatórias, mas o desempenho brasileiro já é histórico. Esta é a melhor campanha da Seleção no atual formato da competição. A equipe chegou a 36 pontos e superou 2006 e 2010 (34 em ambas). O Brasil também é a primeira seleção a ganhar nove seguidas nas eliminatórias sul-americanas. 



PRÓXIMOS JOGOS 

Na terça-feira, o Brasil enfrentará a Colômbia, em Barranquilla, às 17h30 (horário de Brasília), enquanto o Equador receberá o Peru, às 18h, em Quito. 


Nenhum comentário