GERAL

GERAL/style

POLICIAL

POLICIAL/style

Acompanhe as principais notícias sobre política em Imperatriz

Confira a lista de concursos e seletivos abertos no Maranhão

POLÍTICA

POLÍTICA/style

ESPORTE

ESPORTE/style

CULTURA

CULTURA/carousel

OPORTUNIDADES

EMPREGO/block

Vereadores debatem situação da saúde pública em Imperatriz


Vereadores da oposição e da base aliada do prefeito Assis Ramos (PMDB) travaram duros debates acerca da situação do sistema de saúde pública municipal na sessão desta terça-feira (8) da Câmara Municipal, sendo o alvo principal o caos no atendimento, a falta de médicos e medicamentos e a suspensão de cirurgias ortopédicas no Hospital Municipal de Imperatriz (Socorrão).

O vereador Alberto Sousa (PDT), governista, chegou a pedir a saída do médico Alair Firmiano do comando da Secretaria Municipal de Saúde.

Os debates se acirraram durante e após pronunciamento do vereador Bispo Eudes (PRP), da bancada governista. Ele argumentou que o atendimento melhorou nos últimos meses graças a uma série de medidas adotadas pelo prefeito e a Secretaria de Saúde e disse que a crise na saúde não é só de responsabilidade da atual administração, sendo seguido em aparte pelos colegas de bancada Bebé Taxista (PEN) e Antonio Pimentel (PDT).

Usando a tribuna, em resposta ao vereador Pimentel, que disse que “hoje o prefeito tem uma base sólida” na Câmara Municipal, o vereador Rildo Amaral (Solidariedade) teceu incisivas críticas a esta declaração e afirmou que a preocupação maior deveria ser a saúde e não a questão política no parlamento.

Rildo mencionou a situação do Socorrão. “Vejo os colegas dizendo que a situação melhorou, mas basta ir lá para ver o que está acontecendo. Agora vejo falar em revolução na saúde”, criticou, elencando uma série de denúncias que já vem trazendo a público tem semanas, como falta de profissionais e medicamentos e suspensão de cirurgias.

O vereador Ricardo Seidel (Rede) fez dura intervenção e atacou o governo municipal, lembrando que na campanha eleitoral o atual prefeito pregava moralidade e honestidade. “Ele dizia que o dinheiro existia, bastava honestidade. E agora? Tem desonestidade?”, questionou, afirmando que a população está sofrendo com o caos instalado na saúde e que a situação requer urgência.

O presidente da Câmara, José Carlos Soares, lamentou a situação na saúde, mas ressaltou os investimentos executados pelo governo do estado que têm amenizado a demanda em algumas especialidades e os repasses diretos determinados pelo governador Flávio Dino. “Sabemos que, para o tamanho de Imperatriz, nada é muito, mas temos que reconhecer o esforço e ajuda que o governador tem feito pela saúde de Imperatriz”, declarou.

Nenhum comentário