Slider

Oportunidades



Geral

Política

Economia

Polícia

Cultura

Esporte

» » » 215 prefeitos serão empossados neste domingo no Maranhão. O mais bem votado proporcionalmente Luis Fernando em S.J. Ribamar



215 prefeitos serão empossados neste domingo no Maranhão

Desse total, 56 foram reeleitos para um segundo mandato e outros 158 iniciam primeiro mandato na administração pública; dois não assumem

Edivaldo Júnior foi diplomado no mês passado pelo TRE (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

Duzentos e quinze, de um total de 217 prefeitos eleitos no mês de outubro de 2016 serão empossados e darão início hoje a mandato eletivo de 4 anos na administração pública municipal em todo o Maranhão. Deste total, 56 são reeleitos e outros 159 começam o primeiro mandato.

Apenas dois prefeitos eleitos no estado não serão empossados. Tratam-se de Dr. Washington (PDT), em Bacuri e de Hernando Macedo (PCdoB) em Dom Pedro. Em Dom Pedro os votos do adversário Alexandre Costa (PSDC) não foram validados, mas ele tenta reverter a situação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso consiga, será declarado prefeito. Se não, poderá haver novas eleições.

Os dois municípios serão administrados inicialmente pelos presidentes das respectivas Câmaras Municipais até que a Justiça Eleitoral decida o resultado final dos pleitos, ainda sub judice.

Além dos 215 prefeitos, vice-prefeitos eleitos nas chapas majoritárias e vereadores de todos os municípios do estado também iniciam mandato de 4 anos.

Na capital, Edivaldo Holanda Júnior (PDT) deverá iniciar o seu segundo mandato com algumas mudanças na estrutura do primeiro escalão.
Hilton Gonçalo e Albérico Filho também tomarão posse (Foto: Arquivo)

As mudanças a serem efetivadas têm por objetivo abrigar aliados na máquina pública. As alterações poderão ocorrer nas secretarias de Cultura ou Agricultura, Pesca e Abastecimento, na pasta de Articulação Política e na sua base na Câmara Municipal de São Luís, o que depende da efetivação de um vereador no Executivo, para o ingresso de um suplente na Casa.

O prefeito da capital foi reeleito em outubro do ano passado, no segundo turno, com a reafirmação de promessas feitas em 2012 e não cumpridas nos primeiros 4 anos de gestão, a exemplo da implantação do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), da construção de um hospital de urgência e emergência [dr. Jackson Lago], construção e entrega de 19 creches e de escolas em tempo integral.

Além de Edivaldo, foram eleitos na Região Metropolitana de São Luís: Luis Fernando Silva (PSDB), no município de São José de Ribamar; Domingos Dutra (PCdoB), no município de Paço do Lumiar e Talita Laci (PCdoB), no município de Raposa.

Assis Ramos Prefeito eleito de Imperatriz 
Assis Ramos (PMDB) foi eleito em Imperatriz, Albérico Filho (PMDB) em Barreirinhas, Luciano Gnésio (PP) na cidade de Pinheiro e Francisco Nagib (PDT) em Codó.




Saiba Mais

Na cidade de Caxias o prefeito eleito e que iniciará hoje a sua gestão na administração pública é Fábio Gentil (PRB). Ele derrotou o então prefeito Léo Coutinho (PDT), candidato do governador Flávio Dino (PCdoB) e se consolidou no comando do município para os próximos 4 anos.

Flávio Dino perdeu em grandes colégios eleitorais

O governador Flávio Dino (PCdoB) saiu como derrotado das eleições municipais 2016 em todo o estado. Apesar de ter se movimentado junto a aliados, ele perdeu o pleito em alguns dos maiores colégios eleitorais do Maranhão.

Dino acumulou derrotas, por exemplo, em municípios como Imperatriz, Caxias, Pinheiro, Bacabal, Codó, Grajaú, Lago da Pedra e Barreirinhas.

Em Imperatriz ele apoiou Rosângela Curado (PDT), depois de ter fracassado com as pré-candidaturas do deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB) e do secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto (PCdoB). Mesmo assim, perdeu.

Na cidade de Caxias ele dividiu derrota com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), após Fábio Gentil (PRB) vencer a eleição sobre o prefeito Léo Coutinho (PDT), que buscava a reeleição.

Já na cidade de Pinheiro, uma das mais importantes da Baixada Maranhense, Dino perdeu o pleito com Leonardo Sá (PCdoB), que ficou apenas na terceira colocação. Luciano Genésio (PP), que havia denunciado perseguição política por parte de adversários, conseguiu se eleger.

Na cidade de Bacabal, que está com o resultado sub judice, Dino assistiu a vitória do deputado estadual Roberto Costa (PMDB), que aguarda agora a definição da Justiça Eleitoral a respeito do resultado final da eleição.

Em Codó o candidato apoiado por Flávio Dino ficou apenas na terceira colocação. Trata-se de Pedro Belo, do PCdoB. Lá, o candidato que saiu vitorioso das urnas foi Francisco Nagib, do PDT.

Em Grajaú, o comunista perdeu com Simone Limeira (PCdoB), em Lago da Pedra ele assistiu a derrota de Mauro Jorge (PCdoB) e em Barreirinhas, onde Léo Costa acabou impedido pelo PDT de disputar a reeleição, em troca de apoio ao candidato do PCdoB, Dino foi derrotado com Amílcar Rocha, ex-sócio do governador.
Edição André Gomes 
Fonte: O Estado 
RONALDO ROCHA - DA EDITORIA DE POLÍTICA

«
Próxima Notícia
Postagem mais recente
»
Notícia Anterior
Postagem mais antiga