sponsor

Slider

Oportunidades

Geral

Política

Economia

Polícia

Caema abre inscrições de concurso público com mais de 1300 vagas em todo o estado

São oferecidas vagas para todos os níveis de escolaridade, num total de 1325 vagas imediatas e cadastro de reserva
Estão abertas as inscrições para o concurso público da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), que será executado pelo Instituto Brasileiro de Educação e Gestão (Ibeg). Os candidatos têm até o dia 7 de maio para se inscrever no concurso, cujas provas estão previstas para serem realizadas no dia 15 de junho em Imperatriz e outras 8 cidades do estado. Ao todo, são 1325 vagas, imediatas e cadastro de reserva (CR).

São 176 vagas imediatas e 1.149 de cadastro reserva, distribuídas nos seguintes cargos:

- Nível Fundamental
Auxiliar de Serviços e Obras de Saneamento (27 + 250 CR);

- Nível Médio e Técnico
Almoxarife (2 + 3 CR), Atendente Comercial (14 + 92 CR), Técnico em Enfermagem do Trabalho (2 CR), Auxiliar de Administração (1 + 6 CR), Cadastrista (4 + 33 CR), Eletricista (1 + 6 CR), Encanador (17 + 166 CR), Hidrometrista (2 + 4 CR), Leiturista (31 CR), Mecânico Industrial (2 + 7 CR), Montador (8 + 22 CR), Operador de Equipamento Motorizado (5 CR), Operador de Estação de Tratamento (13 + 112), Operador de Máquina Pesada (1 + 14 CR), Operador de Estação Elevatória (10 + 72), Operador de Sistema (27 + 121 CR), Soldador (2 CR), Técnico Eletromecânico (14 + 27 CR), Técnico em Contabilidade (1 + 8 CR), Técnico em Edificações (8 + 22 CR), Técnico Ambiental (2 CR), Técnico em Saneamento (4 + 23 CR), Técnico em Segurança do Trabalho (1 + 4 CR), Técnico Químico (5 + 42 CR) e Torneiro Mecânico (4 CR)

- Nível Superior 
Médico de Segurança do Trabalho (2 CR), Administrador (1 + 5 CR), Advogado (1 + 8 CR), Analista de Sistema (2 CR), Contador (3 CR), Economista (2 CR), Engenheiro de Segurança do Trabalho (2 CR), Biólogo (2 CR), Engenheiro Civil (10 + 26 CR), Engenheiro Ambiental (2 CR), Engenheiro Eletricista (1 + 5 CR), Engenheiro Mecânico (1 + 4 CR) e Engenheiro Sanitarista (3 CR).

As oportunidades estão divididas entre as cidades de São Luís, Santa Inês, Imperatriz, Nova Iorque, Santa Luzia, Chapadinha, Pedreiras, São João dos Patos, Açailândia, Barra do Corda, São Vicente Ferrer, Pinheiro, Itapecurú, Bacabeira, Presidente Dutra, Cantanhede, Brejo, Lago Verde, Nina Rodrigues, Barão do Grajaú e Araioses. Os profissionais serão contratados sob o regime de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), com salários que variam de R$ 724,00 a R$ 2.649,58 em jornadas de 44 horas semanais.

Para participar do certame, os interessados devem se inscrever até o dia 7 de maio de 2014, mediante preenchimento do formulário disponível no site da IBEG. As inscrições custam R$ 45,00 para nível fundamental, R$ 60,00 para médio e técnico e R$ 80,00 para nível superior.

Haverá prova objetiva para todos os candidatos, prova de aptidão física para Auxiliar de Serviços e Obras de Saneamento, além de prova discursiva para os inscritos em cargos de nível superior. A aplicação da prova objetiva está prevista para o dia 15 de junho de 2014, em dois horários e em locais divulgados posteriormente.

Este concurso terá validade de dois anos, contados a partir da data de homologação do resultado final, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período, a critério da Caema. Veja o edital de abertura do concurso.

Diego Sousa
com informações da Imprensa Nacional

Ministério Público de Imperatriz pede afastamento de Ricardo Murad da secretaria de Saúde


“A ação foi instaurada porque o secretário de saúde está deixando de cumprir ordens de seu ofício” afirma o promotor responsável pelo caso, Eduardo Lopes.

O Ministério Público do Estado (MP/MA), ajuizou, no último dia 4 deste mês, uma ação civil pública de improbidade administrativa com pedido cautelar de afastamento do secretário estadual de saúde do Maranhão, Ricardo Murad – e hoje também titular da segurança. A medida foi tomada após vários casos de descumprimento das ordens expedidas pelo Juízo da Fazenda Pública de Imperatriz, o que demonstrou a omissão ímproba do secretário.

Imperatriz é hoje sede regional de saúde e para onde são referenciados diversos atendimentos de média e alta complexidade de usuários do sul do Maranhão, oeste do Pará e norte do Tocantins. Além da posição geográfica estratégica do município, diversas ações e serviços de saúde são negligenciados pelos gestores públicos, o que motiva o encaminhamento de ações para o poder judiciário, como forma de garantir atendimentos, consultas, exames e tratamentos.

Segundo o MP, as demandas que chegam ao Poder Judiciário, mais precisamente pelo Juízo da Fazenda Pública que determina liminarmente a concessão do usuário que precisa utilizar procedimentos de saúde, não são cumpridas pela Secretaria Estadual da Saúde. Diante dessa situação, o MP instaurou o Procedimento Preliminar Investigatório nº 06/2014 – 5ª PJEsp no qual mostrou em seus resultados a baixíssima resolutividade das demandas judiciais liminares.

A investigação foi feita nas ações que requeriam quimioterapias, radioterapias e fornecimento de medicamentos. Dos 10 casos investigados, metade não tiveram resolutividade e a outra metade não foi cumprida espontaneamente, além de 20% que evoluíram a óbito por falta de tratamento.

“A ação foi instaurada porque o secretário de saúde está deixando de cumprir ordens de seu ofício” afirma o promotor responsável pelo caso, Eduardo Lopes, e acrescenta “Isso se fez necessário para que sejam cumpridas as ordens judiciais sob pena de perda de cargo, já que quem está hoje na secretaria não está cumprindo”.

Fonte: Gilberto Lima

NOVO REAJUSTE NAS TARIFAS DE ÔNIBUS DA VBL


VBL solicita a prefeitura reajuste no valor das tarifas para o transporte de passageiro. A empresa protocolou junto a prefeitura e Imperatriz, no dia 7 de Abril, o pedido de reajuste no valor das tarifas praticadas nas passagens do transporte coletivo em Imperatriz. Segundo a empresa, o valor do reajuste, segue uma escala que prever o aumento de 2,30 para 2,70 neste primeiro momento, e até 3.00 no segundo semestre, ( fim do ano). Ainda segundo a direção da VBL, há seis anos a empresa não pratica reajustes em suas tarifas, mesmo com o aumento de salários, óleo diesel, peças, pneus e outros encargos e insumos ao longo deste período. 

O pedido foi feito a prefeitura, os vereadores já analisaram o pedido e responderam ao gabinete do chefe do poder executivo. Como o prefeito está de férias na China e em Nova York (USA), somente após a semana santa ele deve se pronunciar sobre o reajuste nos preços das passagens do transporte coletivo de Imperatriz.

Em entrevista nesta terça feira a imprensa, o vereador José Carlos Soares, líder do governo na câmara, disse ser justa a reivindicação da empresa neste momento, "é muito justa a solicitação para correção no valor das tarifas, pois todas as categorias reclamam reajuste de salários todos os anos, e na empresa não é diferente. Agora cabe ao prefeito deliberar sobre a questão. Afinal, já são seis anos sem aumento nas passagens, se o parecer do município for contrario, a empresa pode buscar a correção na justiça, como já foi feito em outros momentos, a empresa renovou sua frota e está cumprindo suas obrigações no transporte público de Imperatriz". Salientou José Carlos Soares.

PETROBRAS UM POÇO DE LAMA


O ESCÂNDALO DO MONOPÓLIO DA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA CRIADA NO GOVERNO
DO ex-presidente Luiz Inácio Lulla da Silva COM O AVAL DA presidente 
Dillma Rousseff, então ministra das Minas e Energia, (MUITO MAIOR E PIOR
DO QUE OS CASOS DA PASSADENA E ABREU LIMA).

"O governo do PT,juntamente com seus comparsas, expropriou do empresário Boris Gorentzvaig, fundador da indústria petroquímica brasileira, a Petroquímica Triunfo, uma gigantesca planta industrial localizada no interior gaúcho, produtora de matéria-prima para a produção de plásticos. A Petrobras detinha 85% do capital da Triunfo. Os outros 15% estavam nas mãos da família, cujo patriarca, Boris (falecido em 2012), foi o pioneiro na implantação do Polo Petroquímico do Sul, no fim dadécada de 70.

Logo que a Triunfo começou a operar, nos anos 80, aPetrobras e os Gorentzvaig se desentenderam. Desde então, entraram em litígio judicial para saber quem deveria dar as cartas na Triunfo. Para encerrar o litígio, o juiz Mauro Gonçalves, responsável pela causa, propôs, em junho de 2009 que a estatal vendesse sua parte aos Gorentzvaig por 250 milhões de reais.

A Petrobras topou sair donegócio, mas cobrou um valor maior por sua participação: 355 milhões de reais. Os Gorentzvaig concordaram com o novo preço. O negócio deveria ser sacramentado em outubro do referido ano, durante uma audiência de conciliação judicial. Mas a advogada da Petrobras, Andréia Damiani, foi ao tribunal para dizer que a empresa não queria mais acordo e alegou que já havia passado muito tempo desde que a empresa fizera a contraproposta e "razões estratégicas" impediam a conclusão do negócio. A advogada reclamou, também, do pedido de due diligence, investigação contábil, jurídica e econômica feita antes do fechamento de grandes negócios. Para ela, a due diligence iria "embolar o meio de campo".

No mês de abril de 2009 -- e é aí que o caso se torna curioso e nebuloso, a Petrobras decidiu repassar a Triunfo para outra empresa, a Braskem, da qual é sócia minoritária, por 118 milhões de reais, pagos em ações.Preferiu, portanto, de forma muito estranha, receber 118 milhões de reais em ações por 100% da Triunfo aos 355 milhões de reais em dinheiro por 85% da mesma empresa, estes que seriam pagos pelos Gorentzvaig. Os Gorentzvaig, minoritários na petroquímica, foram obrigados a sair do negócio e a também aceitar ações da Braskem em troca de sua participação. "Entregaram a Triunfo para a Braskem", diz Caio
Gorentzvaig, após verdadeira expropriação, privatizando-a, portanto, logo após.


A Petrobras alega que o negócio é lícito e contribuiu para a "consolidação da indústria petroquímica nacional". Controlada pela Odebrecht, a Braskem já era dona do polo petroquímico da Bahia e da
refinaria paulista de Paulínia, e desta forma, formou verdadeiro monopólio no setor petroquímico do país. Dilma Rousseff, sempre é bom lembrar, à época, era a Presidente do Conselho de Administração da
Petrobras. No Palácio do Planalto, em 4 de dezembro de 2007, várias autoridades discursaram em reunião onde a Braskem e a UNIPAR se associaram para atuar em Camaçari: Presidente Lula: "Isso aqui não pode
terminar sem a Dilma falar". Ministra Dilma Rousseff: "É que eu acho que é muito mais do que isso, sabe, José Sérgio (presidente da Braskem)? Eu acho que a petroquímica foi algo importante que o País tentou
estruturar nos anos 70. Acho que, dos anos 70 até hoje, nós demos alguns passos, mas havia uma grande confusão acionária que impedia que grupos extremamente pulverizados tivessem porte e tamanho suficientes
para disputar um espaço de fornecimento de produtos petroquímicos aqui no Brasil e no mundo. Eu acho que hoje é um grande passo, porque se formam dois grandes grupos privados nacionais, com a Petrobras como minoritário relevante, estratégico e estruturante."

AO TRANSFORMAR A PETROBRAS EM ACIONISTA MINORITÁRIO, DILMA ROUSSEFF NÃO ESTARIA PRIVATIZANDO A EMPRESA? COM A PALAVRA, A CPI!

A Braskem é uma "cria" do governo Lula que, sob o comando de Dilma Rousseff, fez de tudo para que ela se desenvolvesse.

Marina anuncia candidatura a vice de Eduardo Campos

Anúncio foi feito nesta segunda em Brasília, seis meses após formação da aliança PSB/Rede

Brasília - Seis meses após anunciar a formação da chapa PSB/Rede, a ex-senadora Marina Silva (PSB) anunciou nesta segunda-feira, 14, que será candidata a vice-presidente na chapa de Eduardo Campos (PSB). O anúncio ocorreu em evento realizado em Brasília, que serve de palco para o lançamento da pré-campanha da chapa presidencial do PSB.

"Nós estamos aqui para anunciar nossas pré-candidaturas à Presidência da República e eu a sua vice", afirmou Marina, que defendeu um realinhamento político no País. Em um segundo momento, Marina se virou para Eduardo Campos e disse que fazia parte da aliança para unir. "Estou aqui para me colocar lado a lado, vamos andar pelo Brasil inteiro, afirmar o Brasil que queremos", afirmou.

"Não é para dividir, é para unir. Não é para separar, é para encontrar. Não é para embate, mas para o debate", acrescentou. Segundo ela, o quinto partido da aliança será o "povo". "Se ganharmos, a vitória será do quinto partido", emendou. Além do PSB, Rede (ainda informal), constam na aliança o PPS e PPL, apoios que ela agradeceu. Marina afirmou que a Rede é um "partido de fato". "Nesses seis meses, nós fomos nos encontrando", afirmou, sobre a aliança com o PSB. Marina disse que foi negado à Rede o direito de se formalizar. Ela citou também a própria origem no PT e disse que direito de existir não foi negado ao antigo partido.

Apesar de anunciar a composição na chapa, Marina afirmou que o "ser humano está condenado, abençoado, a viver no gerúndio". "Se vocês perguntarem se já deram certo na aliança, vamos responder: estamos dando certo, quando a gente acha que já deu certo pode se preparar para virar a página", afirmou. Elas afirmou também que o povo brasileiro "está acreditando em seu futuro".

No discurso, a ex-senadora também citou o fato de ser evangélica, mas disse que não usará da religião para pedir votos. "Vocês sabem que sou uma mulher de fé, mas nunca fiz dos palanques, púlpito", afirmou. A ex-senadora aparece até aqui na frente de Eduardo Campos nas pesquisas de intenção de voto. Até o dia de hoje, especulava-se que ela seria a cabeça de chapa também em razão do legado eleitoral de 2010, quando conquistou cerca de 20 milhões de votos na disputa presidencial. Antes de Marina, representantes do PPS e PPL reforçaram apoio à candidatura dos dois. Nos discursos da maioria dos participantes, foi defendido o fim da polarização entre o PT e o PSDB ocorrida nas últimas eleições.

OAB de Imperatriz Convoca Todos os Advogados e Advogadas




A Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Imperatriz convoca todos os advogados e advogadas pertencentes a essa Subseção para se inscreverem como defensores dativos e atuarem perante a Subseção Judiciária Federal de Imperatriz – Justiça Federal.

Os interessados deverão comparecer na secretaria da OAB para efetuar inscrição no período de 10 a 30 de abril. A Subseção Imperatriz localiza-se na Rua Simplício Moreira, nº 1083 no Centro. O horário de atendimento é das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Um exemplo de dignidade


Com o titulo Um exemplo de dignidade, o senador e ex-presidente da republica, José Sarney publicou artigo em sua coluna semanal neste domingo (13), elogiando a figura do ex-pré candidato ao governo do estado do Maranhão, ex-prefeito de São José de Ribamar e ex-secretário de estado Luis Fernando. 

Vale ressaltar que José Sarney é o segundo a sair em defesa de Luis Fernando, antes tivemos apenas o ex-secretario Hildo Rocha que em nota fez largos elogios ao ex-secretario Luis Fernando. 

LEIA O ARTIGO AQUI:

Um exemplo de dignidade

É do Antonio Carlos, o mineiro em que o Getúlio passou a perna, a frase de que a "política é como uma nuvem, muda a cada minuto". E eu acredito sempre que a maior certeza que se observa na política, numa análise que não seja restrita ao imediato, é que o impossível sempre acontece.

A renúncia, com o gesto do Jânio meio incompreensível e alucinado, maculou-a, mas é sempre, em meio ao idealismo humano, uma atitude de grandeza, quando é motivada por atitudes nobres. Acabamos de assistir a uma que merece o nosso respeito e engrandece um homem público. Luis Fernando, um homem de grande virtude, honrado, competente, inteligente, experiente, acaba de nos dar um exemplo de que a política não é isso o que em geral se procura construir e que os políticos não são esses demônios que pintam.

A maior aspiração de um político é governar o seu estado. Só depois podem vir outras. Pois bem, num momento em que todos arrancam os cabelos e não abrem mão de nada, Luis Fernando nos dá esse exemplo. Saiu sem ódio, sem criar problemas, sem atribuir a ninguém o seu gesto e dono de uma tranquilidade e uma firmeza de convicção que nos faz ter nele um exemplo.

O comunicado que ele fez é uma peça que merece ficar inscrita nos anais de nossa vida política. Reconhece que foi escolhido candidato, e se houve com grande dignidade nessa condição, que "no mundo político as condições se alteram, no interesse do êxito eleitoral".

Outros não examinariam esse aspecto. O desejo do poder é maior e lutaria contra tudo e todos, sem essa avaliação. Acrescente-se mais que ninguém lhe cobrou esse balanço e em torno dele estávamos certos de que teríamos uma grande vitória. Ele foi escolhido pelas suas qualidades e pelo seu passado.

No governo, como secretário em duas pastas, fez um trabalho extraordinário, semeando obras no Maranhão inteiro, viajando por todo o nosso território e procurando unir, sem criar incompatibilidades nem encher o peito de presunção com a sua candidatura. Manteve a humildade, pautou-se pela decência e mesmo tendo deixado a disputa é um nome que merece o nosso respeito e continuará a servir ao Maranhão.

Ajudou o estado e saiu com o mesmo afeto a Roseana, dentro do mesmo grupo de seus amigos e disposto a lutar com o mesmo espírito público e com a mesma força.

A ele, Luis Fernando, nossa homenagem pela conduta correta, digna, como soube entrar e soube sair, sem nenhum arranhão em sua personalidade, dignidade e honradez, fidelidade e competência, pronto para outros desafios.

COLUNA DO SARNEY