Slider

Oportunidades



Geral

Política

Economia

Polícia

Cultura

Homem e assassinado com dois tiros no Bacuri

Imperatriz: Mais um crime no bairro Bacuri, por volta das  00:3h e 40 min , da madrugada desta sexta-feira (28)foi morto com dois tiros José Pereira Silva Filho, o crime aconteceu na Rua Godofredo Viana entre a Rua Beta e Rua Monte Castelo, no bairro Bacuri.

A pericia esteve no local e fez todo levantamento pericial, o corpo da vítima foi removido para o IML de Imperatriz, a motivação do assassinato ainda não foi esclarecida.



Por André Gomes 

Fonte Blog Asmoimp 

Governo do Estado autoriza concurso para a Aged

O Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), autorizou e incluiu na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2015 a realização de concurso público para preenchimento de 179 vagas para diversos cargos para a Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged).

O concurso, que demandará recursos na ordem de R$ 6,7 milhões, foi um dos últimos compromissos pendentes assumidos pelo Governo do Estado com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no Plano de Ampliação da Zona Livre de Febre Aftosa, concluído em maio deste ano, quando o Maranhão e outros seis estados nordestinos e o Pará, foram reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como zona livre de febre aftosa.

"Durante todo o processo de certificação, o Maranhão foi destaque, sempre liderando as auditorias nacionais e internacionais. E os únicos compromissos assumidos que o Governo do Estado tinha que cumprir, nos próximos anos, eram a implantação do sistema eletrônico de emissão de GTA's (Guias de Trânsito Animal) e a realização de concurso público para readequar a demanda da estrutura da Aged, que foi reestruturada durante esse processo. Ficamos felizes por encerrar nosso trabalho à frente da pasta cumprindo todas as metas assumidas junto ao Ministério", avalia o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cláudio Azevedo.

De acordo com o diretor geral da Aged, Fernando Lima, as novas vagas suprirão, especialmente, as demandas da área de defesa sanitária animal. "Com a conquista da zona livre de febre aftosa, nossa responsabilidade aumentou. Manter esta zona livre requer muito mais trabalho do que o que já vem sendo feito. Durante esta gestão, modernizamos e aumentamos a estrutura de atendimento da Aged, o que também gerou a necessidade de novos servidores".

Fernando Lima afirmou que o concurso é resultado de todo o trabalho feito pela área de defesa agropecuária do estado. “Não temos conhecimento de que outros estados, que fazem parte desta zona livre, tenham cumprido integralmente seus compromissos como este governo está fazendo. Foram 28 itens determinados pelo Ministério e atendidos pelo governo do estado".

São 25 vagas para fiscais agropecuários - sendo 20 veterinários e 5 agrônomos -, 75 assistentes de fiscalização - técnicos agrícolas -, 75 auxiliares de fiscalização - nível Médio-, 1 advogado, 1 contador, 1 jornalista e 1 profissional de Tecnologia da Informação.

Ex-prefeito João Castelo é condenado criminalmente

Com base em Denúncia proposta pelo Ministério Público do Maranhão, a 7ª Vara Criminal de São Luís condenou, na última terça-feira, 25, o ex-prefeito João Castelo Ribeiro Gonçalves a dois anos e três meses de prestação de serviço à comunidade ou a uma entidade pública. A pena inicial, convertida em prestação de serviços, foi de dois anos e três meses de detenção. O ex-gestor tem o direito de recorrer em liberdade.

A condenação de João Castelo baseia-se no não pagamento dos salários do funcionalismo público municipal em dezembro de 2012, último mês de sua gestão. À conduta do ex-gestor foram aplicadas as penalidades previstas em dois artigos do Decreto-Lei 201/67, que trata da responsabilidade de prefeitos e vereadores.

Com base no artigo 1°, inciso II do Decreto-Lei 201/67 (utilizar-se, indevidamente, em proveito próprio ou alheio, de bens, rendas ou serviços públicos), João Castelo foi condenado dois anos de detenção. Já pelo inciso V do mesmo artigo do decreto-lei (ordenar ou efetuar despesas não autorizadas por lei, ou realizá-las em desacordo com as normas financeiras pertinente), o ex-prefeito recebeu a pena de três meses de detenção.

ENTENDA O CASO

Com base no Inquérito Civil n° 01/2013, que apurou o não pagamento do funcionalismo municipal de São Luís em dezembro de 2012, o Ministério Público do Maranhão ingressou, em 15 de maio, com uma Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa com pedido de indisponibilidade de bens e uma Denúncia criminal contra o ex-prefeito de São Luís, João Castelo Ribeiro Gonçalves.

Foi apurado pela força-tarefa criada pela procuradora-geral de justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha, para investigar o caso, que o então prefeito deixou de enviar ao Banco do Brasil (responsável pela administração da folha de pagamento do Município) a ordem de pagamento dos salários dos servidores no mês de dezembro de 2012.

Ao mesmo tempo, João Castelo determinou a utilização de R$ 36 milhões da reserva financeira da Prefeitura de São Luís para o pagamento a fornecedores. Chamou a atenção dos promotores de justiça Justino da Silva Guimarães, João Leonardo Sousa Pires Leal e Danilo José de Castro Ferreira, integrantes da força-tarefa, o fato de que o empenho e liquidação dos pagamentos se deu em apenas cinco dias (de 27 a 31 de dezembro), tempo bem menor que o usual.

"Nesse caso, foi o denunciado (João Castelo Ribeiro Gonçalves), na época mandatário maior do Município e vindo de uma derrota nas urnas quem tomou a decisão de livre e conscientemente deixar de pagar os salários para privilegiar pagamento de outras obrigações refratárias, inclusive com o objetivo de causar dificuldades à nova administração, o que de fato ocorreu, já que os valores tiveram de ser pagos de forma parcelada. Portanto, é claro o dolo em sua conduta", analisaram, na época, os integrantes da força-tarefa.

Trinta e nove personalidades recebem o Título de Cidadão Imperatrizense 2014


A cerimônia solene lotou o auditório do Palácio do Comércio e Indústria

A solenidade de entrega do Título de Cidadão Imperatrizense foi iniciada pontualmente às 17 horas, com a execução do Hino Nacional Brasileiro. A honraria é concedida anualmente pela Câmara Municipal homenageando pessoas que escolheram a cidade para morar, contribuindo com seu desenvolvimento em diversas áreas.

O vereador-presidente Hamilton Miranda abriu a solenidade de entrega do Título de Cidadão Imperatrizense, desejando boas vindas aos presentes que lotaram o auditório do Palácio do Comércio e Indústria de Imperatriz. 

Em seguida a vereadora Fátima Avelino fez a leitura do Salmo 111. 

Ao saudar os presentes o prefeito Sebastião Madeira declarou “ser muito justa a homenagem que o Poder Legislativo faz aos homens e mulheres de Imperatriz”. 


O vereador e deputado estadual eleito Marco Aurélio da Silva Azevedo falou em nome de todos os vereadores parabenizando os homenageados.

“É uma celebração importante homenagear cada um a partir dos representantes do povo. É uma forma da cidade valorizar em vida cada um que contribui com o fortalecimento da nossa cidade. Cada um à sua maneira, na educação, na medicina, no ativismo, na esfera política, na comunicação, no mundo acadêmico, no esporte, no âmbito religioso, o certo é que cada um de vocês contribui com a nossa cidade. E essa contribuição traz hoje vocês aqui como agraciados. Vocês que não nasceram aqui, recebem hoje a certidão de nascimento da Câmara de Vereadores de Imperatriz.” 

A primeira personalidade a receber a homenagem foi o juiz Márlon Reis, indicado pelo vereador Rildo Amaral, que agradeceu o reconhecimento da cidade que escolheu para viver e criar os filhos.

“Pra mim não é um ato simbólico, mas a concretização através de um documento de uma relação que já existe, pelos anos que vivo aqui.”

Edição André Gomes 

Mari Marconccine (Assessoria)

Fotos: Fábio Barbosa






Bomba, Bomba e Bomba! Caso Décio Sá reacende e empresário dono da Franere construções Marcão Regadas ficará frente a frente com Júnior Bolinha.

O caso do jornalista e blogueiro Décio Sá – executado brutalmente em abril de 2012, reacendeu. Dois suspeitos pela morte de Décio vão ficar frente a frente na Justiça.

O juiz titular da 6ª Vara Criminal, Antônio Luiz de Silva Almeida, vai intimar o acusado de ser agenciador do assassinato do jornalista e ex-empresário José Raimundo Sales Chaves júnior, o “Júnior Bolinha”, para prestar depoimento no dia 22 de janeiro do próximo ano.

Bolinha vai ficar ‘cara a cara’ com o empresário e dono da construtora Franere, Marcos Regadas, o Marcão. Também foram arrolados no processo como testemunhas o deputado estadual Raimundo Cutrim e o promotor Fernando Barreto.

A decisão do juiz foi em razão de um processo que Marcão move contra 4 jornalistas, que noticiaram a carta em que Júnior Bolinha acusa o empreiteiro de participação no crime de Décio Sá.

Marcão Regadas ingressou na Justiça contra os jornalistas para que não citasse mais seu nome em nenhuma matéria: seja favorável ou desfavorável. Ocorre, que o juiz Antônio Luiz considerou a ação do empresário uma censura. E disse:“impedir alguém de falar, não pode”.

A defesa do dono da Franere tentou impugnar a convocação das testemunhas, mostrando uma certa preocupação. O juiz indeferiu o pedido de impugnação, baseando-se na liberdade de expressão.
Agora o empresário Marcão Regadas vai ter que ouvir o que as testemunhas terão para revelar sobre a verdade no assassinato do jornalista Décio Sá.

Abaixo a imagem da carta que Júnior Bolinha escreveu acusado o dono da Franere pela morte do blogueiro:



Luis Fernando será candidato a prefeito de São José de Ribamar

O ex-prefeito de Ribamar e ex-secretário de infraestrutura do estado poderá vim disputar mais uma vez a prefeitura de São José de Ribamar-MA pela terceira vez, o grupo político de Luis Fernando está preparado para disputar a prefeitura de Ribamar, o nome escolhido por Luis Fernando é do atual vice-prefeito Eudes Sampaio.

Como política é política no caso de Eudes Sampaio não decolar nas pesquisas de opinião pública o candidato será Luis Fernando que tem amplas condições de vencer por ter sido o melhor prefeito dos últimos tempo em São José de Ribamar, já é comentado o nome de Luis Fernando que não tem pário para ele, uma outra novidade na política maranhense e ribamarense será a saída de Luis Fernando do PMDB, Todos maranhenses que acompanharam o trabalho do ex-secretário Luis Fernando ficaram chocados e triste pela retirada de sua candidatura ao governo do Maranhão. 

A governadora Roseana Sarney não honrou sua palavra, para mim palavra é documento de honra, neste emaranhado de disse me disse Luis Fernando preferiu preservar seu nome. Dato esta situação Luis Fernando e seu Grupo político de São José de Ribamar vão migrar para outro partido ainda não informado.

Um outro concorrente a prefeitura de Ribamar será o sobrinho de Luis Fernando, Rodrigo Valente que hoje ocupa o cargo de secretário de articulação política do governo de Roseana Sarney, "como disse política é política".

 Por André Gomes 

Fábrica sem licença em Paço do Lumiar é desativada após visita de deputados

Paço do Lumiar - Os moradores do loteamento Santa Filomena, localizado em Paço do Lumiar informaram à Comissão de Meio Ambiente e à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa que a fábrica instalada na comunidade que estava funcionando sem licença já foi desativada.

A informação é que depois da visita realizada no último dia 11 de novembro pela deputada Eliziane Gama e o deputado Bira do Pindaré, o empreendimento interrompeu as atividades no local. A visita dos parlamentares atendeu a reivindicação da comunidade que apresentou os transtornos provocados pela fábrica que funcionava de forma irregular no local.

Por causa da desativação da fábrica, a audiência que seria realizada na tarde desta quarta foi suspensa. O evento discutiria a situação do empreendimento com representantes da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e o proprietário da empresa.

Visita

Durante a visita dos deputados à comunidade, os moradores do loteamento repassaram informações sobre o funcionando da fábrica de forma irregular há quase dois anos, resultando sérios impactos ambientais para as mais de 30 famílias daquela região. 

Os deputados chegaram a ir até a fábrica, mas foram recebidos apenas por um funcionário que os impediu entrar na empresa. 

Segundo os moradores, a empresa trabalhava na produção de asfalto, provocando poluição sonora, ambiental e prejuízos para a comunidade.

Edição André Gomes 
Fonte: BNC Comunidade